We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue to use this website, we will assume that you agree to the use of cookies.

HIGHLIGHTS - READ THE TALES

Janeiro

Written by: Hans Christian Andersen

Fevereiro

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 1

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 2

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 3

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 4

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 5

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 6

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve - 7

Written by: Hans Christian Andersen

Pequenas pinturas, poucas palavras, muitas leituras

Written by: Hans Christian Andersen

A Pequena Sereia

Written by: Hans Christian Andersen

Os Sapatos Vermelhos

Written by: Hans Christian Andersen

O Valente Soldado de Chumbo

Written by: Hans Christian Andersen

O Patinho Feio

Written by: Hans Christian Andersen

Janeiro

Written by: Hans Christian Andersen

Synthesis

UMA CARRUAGEM, DOZE PASSAGEIROS, DOZE ASSENTOS. Gostaríamos de apresentar a vocês, nossos seguidores/leitores, mais um trabalho de H. C. Andersen. Ele foi lançado em 1861, mas os originais ficaram prontos em dezembro de 1860. À medida que os pequenos textos forem apresentados vocês entenderam o porquê... Acompanhe em nossa timeline o nome desses passageiros!

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkild

Fevereiro

Written by: Hans Christian Andersen

Synthesis

UMA CARRUAGEM, DOZE PASSAGEIROS, DOZE ASSENTOS. Gostaríamos de apresentar a vocês, nossos seguidores/leitores, mais um trabalho de H. C. Andersen. Ele foi lançado em 1861, mas os originais ficaram prontos em dezembro de 1860. À medida que os pequenos textos forem apresentados vocês entenderam o porquê... Acompanhe em nossa timeline o nome desses passageiros!

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkild

A Rainha da Neve - 1

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 1° Parte Antes de começarmos com a história, vale lembrar que ela se divide em 7 histórias. Há um núcleo central dentro do qual todas as outras giram e um tema central. O leitor pode ler de uma só vez, ou quebrar suas leituras seguindo o fluxo da narrativa, sem prejuízo da leitura. Primeira história Esperamos que ao término da história, vocês saibam muito mais do que estão sabendo agora. Ele era muito mal. Pior do que todas as personagens más sobre as quais vocês já ouviram falar. Ele era o tinhoso. Já ouviram falar dele? Pois bem, em um dia que seu humor estava muito bom, ele fabricou um espelho com estranhos poderes: tudo que era bom e belo sendo refletido no espelho ficava tão pequeno que mal podia se reconhecer; em compensação, tudo que era feio e mau ficava ainda pior. A ...

A Rainha da Neve - 2

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 2° Parte Uma garotinha e um garotinho 👦👩🌹 Numa grande cidade, onde os espaços são escassos, onde as casas ficam reduzidas a pequenos cômodos, onde os jardins são inexistentes, moravam uma garotinha e um garotinho muito pobres em um pequeno sótão. Seu jardim ficou restrito a um vaso. Não eram irmãos, mas era como se fossem, pois gostavam muito um do outro. Em tudo eles combinavam. Seus pais moravam em casas germinadas com telhados que se encontravam. As casas eram separadas por calhas para poder escorrer a água da chuva e da neve quando derretia. Quando eles queriam conversar bastava pular a calha e pronto, estavam juntos. Na frente de cada janela os pais das crianças plantaram em dois caixotes velhos hortaliças e assim podiam usa-las para cozinhar. Havia também uma roseira na mesma caixa. Ela era linda cheia de vida e crescia! As ...

A Rainha da Neve - 3

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 3° Parte Engano! Ele ainda estava lá. Era um daqueles minúsculos pedaços do espelho, daquele espelho do tinhoso. Lembram-se dele, não? Lembram-se em que ele transformava o belo e o bom? E o mau? O que acontecia quando estava diante do espelho? Foi exatamente esse pedacinho de espelho que feriu Kay, nos olhos e no coração. Seu coração transformou-se imediatamente em uma pedra de gelo. O pedacinho do espelho não causava dor, mas estava lá cravado em seu coração. – Por que você está chorando, Gerda? Você fica tão feia quando chora¡ Eu já estou bom. Mas, de repente, gritou: A roseira foi roída por um verme! Esta´ toda torta! Na verdade está parecendo com os caixotes onde estão plantadas. Mal havia dito isso deu um pontapé nas caixas arrancando duas rosas. – Kay, o que você está fazendo¡ – disse Gerda. Vendo-a assustada, ...

A Rainha da Neve - 4

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 4° Parte A velha senhora ficou admirada ao ver Gerda e disse: como conseguiu chegar até aqui, arrastada por essa correnteza podendo ser carregada pelo mundo sem fim. Imediatamente aproximou-se do barco e com sua bengala puxou o barco para a margem, ajudando Gerda a sair dele. Gerda não sabia se ficava contente por ter se livrado daquela correnteza, porque lá no seu íntimo estava com medo daquela criatura tão estranha. Levando Gerda para dentro de sua casa ela perguntou: - Como você veio parar aqui? De onde você é? A velha senhora, muito estranha parecia interessada na história de Gerda. Sem demora ela sentou-se em um pequeno banco e contou-lhe toda sua história. Uma pergunta não queria se calar: essa senhora havia visto Kay? Ele havia passado por ali? A velha disse que não, mas que certamente um dia passaria, enquanto isso Gerda ...

A Rainha da Neve - 5

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 5° Parte A carruagem corria pela floresta. Tal era seu brilho na escuridão da floresta que logo atraiu a atenção dos salteadores. – Quanto ouro! Quanto ouro! Estamos ricos! Pararam a carruagem mataram todos que estavam nela com exceção de Gerda. – Que bela peça, disse a velha ladra. Foi muito bem alimentada e cuidada. A velha mais parecia um monstro tinha barbas, que caia sobre o queixo, sobrancelhas que lhe escondiam parcialmente os olhos. Parece uma ovelhinha pronta para ser cevada. Puxou uma grande faca presa a sua cintura. Dava arrepios só de vê-la. – Fora gritou a velha! Sabem para quem? Sua filha. Ela estava empoleirada em suas costas e acabava de morder a orelha da mãe. Vocês não podem imaginar que tipo de garota ela era, pior do que todo que vocês já ouviram. – Garota maluca, tornou a gritar a ...

A Rainha da Neve - 6

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 6° Parte A primeira parada foi em uma casa muito estranha. O telhado descia até ao chão e a porta era tão baixa que uma pessoa precisava agachar-se para não bater com a cabeça no batente, De qualquer forma não importava porque lá se encontrava apenas uma velha senhora fritando peixes sob a luz de uma lamparina alimentada por óleo de baleia. A senhora pediu que contassem a sua história. Foi a rena quem falou e contou logo a sua por por primeiro porque, segundo ela, era a mais importante, depois contou a de Gerda. Essa por sua vez, não conseguia articular uma só palavra tal era o frio que sentia. – Tenho pena de vocês. Há muito caminho pela frente. Terão de percorrer mais de 100 milhas por toda a região de Finmark. É lá que a Rainha da Neve vive. Todas as ...

A Rainha da Neve - 7

Written by: Hans Christian Andersen

A Rainha da Neve 👑❄️ - 7° Parte O que aconteceu no palácio da Rainha da Neve e o que sucedeu depois. Finalmente Gerda chega ao palácio da Rainha. As paredes eram de feitas de neve. As portas e as janelas não tinham uma forma e um lugar específicos, eram feitas pelo vento cortante que passava por entre as paredes. As grandes salas eram construídas na proporção em que a neve caia em flocos. Havia mesmo muitas salas. Podem acreditar. O tamanho eram os mais variados possíveis havendo sal tão grandes, mas tão grandes que se estendiam por milhas. Era tudo muito gelado e com uma luz própria provocada pela alvura da neve. Ali, não havia espaço para alegria nem mesmo quando os animais que habitavam aqueles lugares, os ursos polares, as raposas polares branca resolviam dançar ou conversar ao som do ritmo dos ventos e batidas sequenciais em suas ...

Pequenas pinturas, poucas palavras, muitas leituras

Written by: Hans Christian Andersen

Synthesis

Caros leitores, foi um prazer muito grande compartilhar essa obra com vocês. Ficamos extremamente sensibilizados com o número de seguidores que tivemos, com a incrível quantidade de comentários, críticas e envolvimento que pudemos perceber. Chegamos ao final. Esta foi a última noite. Muito embora esse livro tenha sido muito bem recebido pela crítica, H. C. Andersen nunca mais se aventurou em novos experimentos desse mesmo tipo. Escreveu ainda muito. Particularmente, considero esse livro uma de suas obras primas. Aos contos de fadas, histórias, romances, peças para o teatro, poesia e relatos de viagem dedicou seu tempo. A primeira edição veio em 1839 (em 1840 na capa aparece o título) com apenas 20 noites, a 2ª edição em 1845 era composta por 31 noites e a terceira e última edição em 1854, como parte do Volume 7 da coletânea de sua obra, inclui mais duas noites totalizando as 33 noites. Algumas noites haviam sido publicadas em almanaques e revistas antes de serem impressas nos livros mencionados.

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkild

A Pequena Sereia

Written by: Hans Christian Andersen

Synthesis

O tema novamente é o amor. O amor puro, desinteressado. Um amor feito para doar, sem egoísmos. Quem ama se doa e quer fazer o sujeito de seu amor feliz, mesmo às custas de seu sofrimento. Essa é uma interpretação livre de Ana Maria Langkilde sobre o tema do conto. Leia você também este conto e compartilhe!

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkilde

Os Sapatos Vermelhos

Written by: Hans Christian Andersen

Synthesis

Quando a mãe de Karen faleceu, ela foi adotada por uma senhora muito rica que cuidou dela como se fosse sua verdadeira filha. Fazia-lhe todos os gostos e vontades. Karen tornou-se uma menina mimada e vaidosa. Tudo que ela pedia para sua mãe, era-lhe concedido. Assim Karen queria substituir seus velhos sapatos vermelhos, por novos dignos de uma princesa. Assim foi feito. Karen ficou muito feliz. O que aconteceu dai para frente vocês saberão lendo o conto. Essa é uma interpretação livre de Ana Maria Langkilde sobre o tema do conto. Leia você também este conto e compartilhe!

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkild

O Valente Soldado de Chumbo

Written by: Hans Christian Andersen

Synthesis

Apesar de ter apenas uma perna ele fazia tudo o que seus outros companheiros podiam fazer. Era alegre e vivia feliz. Ele encontrou o amor, em uma bailarina. Ela podia dançar, rodopiar, ele não mas, eles se amavam. Um dia ele caiu no fogo da lareira e derreteu, porque era de chumbo, mas uma pequena parte de seu corpo ficou intacta, na forma de um coração. Essa é uma interpretação livre de Ana Maria Langkilde sobre o tema do conto. Leia você também este conto e compartilhe!

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkilde

O Patinho Feio

Written by: Hans Christian Andersen

| |

Synthesis

O conto “ O Patinho Feio” nada mais é que uma reflexão sobre quem somos. O patinho não se transforma em um cisne porque ele sempre foi um cisne, apenas não se reconhecia como tal. Essa é uma interpretação livre de Ana Maria Langkilde sobre o tema do conto. Leia você também este conto e compartilhe!

Written by: Prof. Dra. Ana Maria Langkild

Who was
Hans Christian Andersen?

"My life is a beautiful fairytale, rich and wonderfully happy."

O escritor dinamarquês Hans Christian Andersen nasceu no dia 2 de abril de 1805 em Odense na Dinamarca. Como o próprio Andersen afirmava, sua vida era um conto de fadas e muitos dos acontecimentos que vivenciou marcaram sua vida e sua obra. Aqui você vai conhecer um pouco da vida e obra deste fantástico autor.

News